"> Fragmentos da Historia de Tutóia: A casa rosa e a história de uma mulher valente e corajosa. Por Helena Maria - Blog Neto Pimentel

quinta-feira, 13 de dezembro de 2018

Fragmentos da Historia de Tutóia: A casa rosa e a história de uma mulher valente e corajosa. Por Helena Maria

Com esse fragmento, iniciamos uma série de postagem no blog Neto Pimentel em parceria com a historiadora e professora Helena Maria, sobre relatos da rica e fascinante história de Tutóia. 


A casa rosa

A cor é peculiar e a pintura ainda é a original. A fachada chama a atenção nos dias de hoje, imagine a mais de 50 anos atrás. As janelas de vidro e todos os detalhes muito bem escolhido demonstram o esmero da sua construção. No entanto, por trás dessa construção existe a história de uma mulher valente e corajosa.

Nascida em uma família de 10 irmãos, Lavínia Araujo nasceu e cresceu em Barro Duro. Ainda jovem se mudou para São Luís para fazer a vida. Acabou na rua 28 de julho dona de um famoso bordel. Foi por essa época que engravidou de gêmeos, que jamais conheceram o pai. Virou mãe solteira! 

As crianças foram mandadas para Barro Duro e ficaram aos cuidados da avó. É recorrente nas lembranças dos familiares que seus filhos eram os mais elegantes e bem vestidos jovens de sua época, pois a mãe não deixava que nada faltasse. 

Foi pensando neles que em 1945 dona Lavínia deu início à construção da casa rosa. Os tijolos vieram de São Bernardo e um cômodo tem um piso antigo nobre. Móveis e louças da casa também eram artigos finos, alguns ainda estão com a família ate hoje! 

Mais tarde, ao lado da casa foi construída uma loja de tecido para que os filhos pudessem trabalhar. Os tecidos vinham de Recife e eram de grande qualidade.  Em 1972 dona Lavínia voltou para sua terra natal. Nessa época já estava adoentada e manifestou a todos o desejo de morrer em sua casa. A casa que lhe custou tão caro a abrigou e lhe trouxe o merecido descanso após anos de trabalho árduo. 

Em novembro do mesmo ano ela faleceu, levando consigo experiências únicas para uma mulher da sua época e deixando para nós a historia de mais uma mulher maranhense que fez acontecer. Que virou o jogo do destino e não se deixou abater. Viva dona Lavínia! Viva todas as mulheres!
________________________________________________________

Helena Maria


Graduada em historia pela Universidade Estadual do Ceará. Funcionária da Rede Pública de Ensino do município de Paulino Neves. Trabalhou no Memorial da Cultura Cearense e tem cursos na área de patrimônio e história. Em parceira com Instituto Educacional Maria Madalena -IEMMA, escola da Rede Privada, desenvolveu e apresentou trabalho sobre os monumentos mais antigos de Tutóia.


Um comentário: