"> Tutóia: Paralisação na obra de construção das casas populares do residencial Expedito Baquil por falta de cumprimento do contrato salarial dos trabalhadores - Blog Neto Pimentel

sexta-feira, 4 de julho de 2014

Tutóia: Paralisação na obra de construção das casas populares do residencial Expedito Baquil por falta de cumprimento do contrato salarial dos trabalhadores

Hoje (04) pela manhã, houve uma paralisação por parte dos trabalhadores da obra de construção do residencial Expedito Baquil em Tutóia-MA, onde os mesmos alegam a falta de cumprimento dos contratos salariais, acontecendo assim, uma reclamação generalizada, que levou a suspensão dos trabalhos. 

Segundo alguns trabalhadores fichados na Canopus Construções LTDA, empresa responsável pela obra, desde alguns meses não vem sendo garantido os salários acordados, acontecendo hoje apenas o estopim da revolta. Um pedreiro que na carteira, deveria receber no mínimo 1.100,00 R$, (sem incluir horas extras), hoje teria recebido apenas 700,00 R$, um servente que na carteira deveria receber o mínimo de 779, 00 R$, hoje receberam entre 400, e 500,00 R$, ou seja, não se honrou nem a lei que diz, que nenhum trabalhador no país, poderá receber menos que um salário mínimo (724,00 R$) por 44 horas de trabalho semanal. 

Os trabalhadores que entraram em contato com o blog, alegaram também a falta de materiais do EPI (Equipamento de Proteção Individual - dispositivo ou produto, de uso individual utilizado pelo trabalhador, destinado a proteção contra riscos capazes de ameaçar a sua segurança e a sua saúde), que segundo eles, não é suficiente para os quase 200 trabalhadores da obra, estando a quase 2 meses com falta de luvas e máscaras.

A obra de construção do residencial Expedito Baquil, está na primeira etapa, que visa a construção de 500 casas populares, de um total de 1.500. É um projeto do Governo Federal em parceria com a Caixa Econômica Federal. A prefeitura municipal de Tutóia teria apenas cedido o terreno como contrapartida. No local, estava apenas o encarregado e a chefe dos recursos humanos.

É visível que há problemas a serem sanados, ou no mínimo explicados a esses quase 200 pais de famílias que se ficharam em busca de oportunidade de trabalho, o que não pode, é ficarem neste Imbróglio sem explicação. 

O blog respeita o direito de resposta, deixando o espaço aberto aos responsáveis pela obra para uma possível explicação. 

Vejam imagens de hoje (04) no local da obra

A polícia compareceu ao local 










Nenhum comentário:

Postar um comentário